Prevenção do Câncer Colorretal - Tuttoria

Prevenção do Câncer Colorretal

O último mês de março  foi marcado com o movimento mundial de prevenção do câncer colorretal (CCR). O instituto Tuttoria tem como um dos seus pilares a prevenção e não poderíamos deixar de apoiar as ações de combate a este preocupante agravo. O CCR é doença multifatorial resultante de fatores genéticos, ambientais e de hábitos de vida. É o 5º câncer mais diagnosticado no Brasil, e no Sudeste ocupa o 2º lugar. Ele é a 4ª causa mais importante de mortes por câncer no país e cerca de metade dos doentes morre em menos de cinco anos após tratamento. Portanto, a prevenção e o diagnóstico precoce são fundamentais para o combate e tratamento da doença.

No Brasil, o Ministério da Saúde (MS | portalms.saude.gov.br ), em parceria com a Sociedade Brasileira de Coloproctologia (SBCP | www.sbcp.org.br ), vem realizando ações de prevenção e identificação precoce de CCR. O que se espera com essas medidas é prevenir a doença e reduzir seu impacto na população, estabelecendo a construção e a implementação gradativa de uma política pública de saúde para o CCR.

Todos os profissionais da área devem estar engajados e capacitados para o enfrentamento desse agravo à saúde, em especial ao acolhimento aos usuários do sistema de saúde com vulnerabilidade e risco para o CCR. Este câncer, em sua grande maioria, desenvolve-se a partir de pólipos intestinais. Os pólipos são adenomas e, portanto, lesões benignas, que crescem na parede do cólon e, quando associados a modos de vida não saudáveis e predisposição genética, podem, com o passar do tempo, transformar-se em câncer.

Assim, intervenções que promovam a redução da exposição aos fatores de risco para o câncer colorretal podem diminuir o número de novos casos. Os comportamentos/fatores de risco para o câncer colorretal são:

– Fumar;

– Consumir bebidas alcoólicas;

– Ter sobrepeso ou obesidade;

– Consumir alimentos com alta densidade energética (são aqueles que a cada 100g oferecem 225-275Kcal) e carnes vermelhas;

– Consumir carnes (quaisquer tipos, inclusive aves e peixes) preparadas na chapa ou na forma de fritura, grelhado ou churrasco;

–  Consumir pouca quantidade de frutas, legumes, verduras e cereais integrais; e

– Ser sedentário

 

Hábitos saudáveis devem ser priorizados e abaixo listamos alguns direcionados para a prevenção do CCR:

– praticar atividade física regularmente (30 minutos todos os dias);

– Ter alimentação variada, com pelo menos três porções de frutas e três porções de verduras e legumes ao dia, e consumir, preferencialmente, cereais integrais, como arroz, aveia, cevada, trigos e outros (nutricao.saude.gov.br);

– Beber pelo menos dois litros (seis a oito copos) de água por dia;

– Reduzir o consumo de carnes vermelhas (máximo 500g por semana), principalmente na chapa ou na forma de fritura, grelhado ou churrasco;

– Evitar carnes salgadas e processadas, como presunto, mortadela, bacon, linguiça, salsicha e outros embutidos e defumados;

– Manter o peso adequado para altura;

– Não consumir bebidas alcoólicas;

– Não fumar www.inca.gov.br/tabagismo

 

“Homens e mulheres, a partir dos 50 anos de idade, têm maior risco

de desenvolver câncer colorretal.”

 

  • Atenção Profissionais de Saúde:

 

Pessoas com história de câncer colorretal, que tenham parentes em primeiro grau com pólipos ou câncer de intestino, as pessoas com retocolite ulcerativa ou doença de Crohn ou com síndromes hereditárias de câncer colorretal (polipose adenomatosa familiar ou câncer colorretal hereditário não polipoide), em qualquer faixa etária, possuem risco aumentado para o câncer colorretal. Os profissionais da área de saúde precisam ter maior atenção para a presença dos sinais/sintomas do câncer colorretal nesse grupo de usuários.

Fiquem atentos para os sinais/sintomas de alarme para CCR:

  • presença de sangue nas fezes;
  • dor e cólica abdominal frequente com mais de 30 dias de duração;
  • alteração no ritmo intestinal de início recente (quando um indivíduo, que tinha o funcionamento intestinal normal, passa a ter diarreia ou constipação);
  • emagrecimento rápido e não intencional;
  • anemia, cansaço e fraqueza.

 

Encaminhe para o especialista em caso de suspeita.

 

Para saber mais sobre rastreio do CCR, baixe o Guideline 2018 da American Cancer Society (ACS) na aba “download” do Portal Tuttoria.

 

 

Referência

 

  1. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Biblioteca virtual em saúde. Folder de Prevenção de Câncer Colorretal para profissionais da saúde. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/folder/prevencao_cancer_colorretal_profissionais_saude.pdf . Acesso em: 01 fev. 2019.
  2. SOUZA, G.D. et al. Métodos de imagem no estadiamento pré e pós operatório do câncer colorretal. ABCD Arq. Bras. Cir. Dig., São Paulo, v. 31, n. 2, 2018.

 

 

 

Nossos Cursos