Indicações da Endoscopia Bariátrica - Tuttoria

Indicações da Endoscopia Bariátrica

Helmut Poti
Endoscopista na Digestive Center
Hospital São Matheus
Av. Santos Dumont, 5753 – 18° Andar – Papicu, Fortaleza-CE, 60175-047
(85) 9 9928.3535 / 9 8118.3535
Instagram: @drhelmutpoti
Facebook: /drhelmutpoti
Email: gastroplastiaendoscopica@gmail.com

A obesidade já é uma realidade para 18,9% dos brasileiros. Já o sobrepeso atinge mais da metade da população (54%). Os dados são da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção de Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) e foram divulgados pelo Ministério da Saúde. O aumento da prevalência da obesidade no Brasil tem sido acompanhado com o crescente aumento de morbidades associadas. Destaca-se dentre elas a hipertensão, diabetes, dislipidemia, doença coronariana, acidente vascular cerebral, apneia do sono, osteoartrite, colelitíase, doença do refluxo gastroesofágico, esteatose hepática e neoplasias. Obesidade é associado ao aumento de todas as causas de mortalidade cardiovascular, o que impacta em aproximadamente 2.5 milhões de mortes por ano.

Os tratamentos atuais para a perda de peso incluem: mudanças de hábitos de vida, farmacoterapia e cirurgia bariátrica. Uma intensa mudança do estilo de vida é associada somente a uma modesta perda de peso. O tratamento farmacológico quando comparado apenas com a mudança de estilo de vida isolado, tem superioridade entre 3% a 9%, mas é associado com alguns efeitos colaterais.

A perda de peso ocasionada por dieta, exercícios ou medicamentos está associada a um significativo índice de reganho de peso corporal. A cirurgia bariátrica continua sendo o mais efetivo e duradouro tratamento para pacientes obesos. Procedimentos existentes incluem gastroplastia redutora “bypass” em Y-de Roux, gastrectomia vertical, banda gástrica ajustável, duodenal switch e derivação biliopancreática. Estima-se que apenas 1% dos obesos qualificados para a cirurgia, de fato submetem-se a cirurgia. Porém, apesar da mortalidade ter diminuído significativamente, efeitos adversos precoces e tardios associado a cirurgia bariátrica permanece problematicamente alto, em torno de 17%.

Consequentemente, há uma necessidade de opções com intervenções menos invasivas para diminuir esse “gap” no manejo do tratamento da obesidade. A endoscopia bariátrica pode além de tratar complicações da cirurgia bariátrica, pode reproduzir algumas das alterações anatômicas realizadas pela cirurgia bariátrica. Fato este que está se mostrando eficaz para a obesidade em pacientes selecionados. Além disso, oferecem as vantagens de ser pouco invasivo, reversibilidade, repetibilidade e custo-efetividade. Essas vantagens podem permitir que procedimentos endoscópicos sejam aplicados a um segmento maior da população com obesidade moderada.

Procedimentos na endoscopia bariátrica
• Balão intra-gástrico
Balão esférico feito de silicone, que pode permanecer de 6 a 12 meses no estômago, preenchido com solução salina + solução de azul de metileno (para que o paciente urine azulado caso o balão venha a romper) colocado e retirado por endoscopia. O procedimento dura em torno de 10 min e tem indicação para pacientes com sobrepeso e obesidade, com uma perda média de 20% do peso corporal total. O paciente tem saciedade precoce e prolongada com o uso desta técnica.
• Gastroplastia endoscópica ou endossutura gástrica (ESG)

A gastroplastia endoscópica é uma técnica realizada por acesso endoscópico via transoral, que objetiva a redução do volume gástrico, e assim, a diminuição da capacidade deste órgão. A técnica utiliza uma série de suturas endoluminais, dispostas em espessura total através da parede gástrica. A sutura é realizada da incisura gástrica até a junção gastroesofágica. A técnica reduz todo o estômago ao longo da grande curvatura. Estudos comparativos entre a gastroplastia endoscópica e a gastrectomia vertical mostram resultados bem próximos em pacientes com obesidade grau 1 e grau 2.

A endoscopia bariátrica não tem apenas indicação para o tratamento primário da obesidade. Ela trata também pacientes que tiveram reganho do peso após o procedimento cirúrgico de “by-pass”, através do alargamento da anastomose gastrojejunal, utilizando técnica de coagulação com plasma de argônio. Além disso, atua no tratamento de algumas complicações da cirurgia bariátrica, como o tratamento de estenoses e fístulas precoce e tardia.

Referências
1. Vigitel Brasil 2018: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico/ Ministerio da Saude , Secretaria de vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância de Doenças e Agravo não transmissíveis e promoção de saúde – Brasília: Ministério da Saúde, 2018
2. Adams KF, Schatzkin A, Harris TB, et. Al. Overweight, obesity, and mortaly in large prospective cohort of persons 50 to 71 years old. N Engl J Med 2006;355;763-78
3. Gregg EW, Chen H, Wagenknecht LE, et al. Association of an intensive lifestyle intervention with remission of type 2 diabetes. JAMA 2012;308;2489-96
4. Yanovski SZ, Yanovski JA. Long-term drug treatment for obesity: a systematic and clinical review. JAMA 2014;311:74-86.
5. Sjostrom L, Lindroos AK, Peltonen M, et al. Lifestyle, diabetes, and cardiovascular risk factors 10 years after bariatric surgery. N Engl J Med 2004;351:2683-93.
6. Buchwald H, Oien DM. Metabolic /bariatric surgery worldwide 2011. Obes Surg 2013;23:427-36.
7. Chang SH, Stoll CR, Bradley D, Magkos F, Klein S. Effects of bariatric surgery on glucose homeostasis and type 2 diabetes. Gastroenterology 2012;143:897-912
8. Acosta A, Abu Dayyeh BK, Port JD, et al. Recent advances in clinical practice challenges and opportunities in the management of obesity. Gut 2014;63:687-95.
9. Mohamed ZK, Kalbassi MR, Boyle M, et al. Intra-gastric balloon therapy and weight reduction. Surgeon 2008;6:210-2.
10. Lopez-Nava G, Galvao MP, da Bautista-Castano I, et al. Endoscopic sleeve gastroplasty for the treatment of obesity. Endoscopy. Epub 2014 Nov 7.
11. Sharaiha RZ, Kedia P, Kumta N, et al. Initial experience with endo- scopic sleeve gastroplasty: technical success and reproducibility in the bariatric population. Endoscopy 2015;47:164-6.

Nossos Cursos